Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Campeão, criador e cantador


Antes de começarem realmente a ler esse artigo sugiro que dêem um bom desconto na minha narrativa, pois ela nada mais é que um olhar de um criador que a cada dia que passa mais se apaixona pela raça que cria.
Peço para darem esse desconto por que, nós, seres humanos quando nos encontramos apaixonados por algo, temos o incrível poder de olharmos de forma única e diferenciada para o objeto de tal paixão, no meu caso em questão esse objeto são os canários Fife Fancy.
Brincadeiras a parte, nos meus mais de 20 anos como criador de canários de cor e porte, nunca me deparei com uma cor ou raça tão generosa para um criador quanto os pequenos Fifes, já não bastassem serem bichos encantadores pelo próprio padrão de sua raça, aves minúsculas, redondas e ativas, os fifes possuem 3 outras qualidades que posso atestar fazem dessa raça uma raça abençoada e privilegiada.

 
É campeão

Tenho percebido que nos fifes a formação de um plantel de qualidade acontece de forma mais rápida que em outras raças, posso está falando uma grande besteira, não sou dono da razão e tudo que falo é baseado em observações minhas como criador, mas o fato é que diferente de outras raças o bom fife fancy (esteriotipo) gera ou produz bons filhotes, resumindo o esteriotipo andam mais próximos dos genetotipos nessa raça e ao meu ver existe uma explicação lógica pra isso, diferente dos gloster por exemplo, que aqui no Brasil e também pelo mundo passaram por diversos cruzamentos entre raças diferentes tentando melhorar uma ou mais características, a impressão que temos é que com os fifes isso não aconteceu ou aconteceu infinitamente de forma menor, acabando que os fifes são uma raça com grau de pureza muito superior a várias outras e isso tem facilitado sua evolução genética e consequentemente facilita a um exemplar dessa raça passar bons genes adiante.

É criador

Não é novidade no meio dos criadores de canários a tal afirmação: Fife cria igual a rato! Bom nunca criei rato graças a deus, mas que fife cria muito e bem criam sim, em dois anos criando a raça obtive em minhas mãos mais ou menos 26 canarias que aprontaram e chegaram a reproduzir e 100% delas criaram e criaram bem, nesse mesmo período tive uns 18 machos reproduzindo e desses até agora só um não encheu ovo, testado com duas canarias e ainda testarei ele com uma terceira femea. Portanto se alguém espera criar uma raça que tenha bons índices reprodutivos aconselho fife, se alguém pretende criar uma raça que não tenha bons índices reprodutivos...também aconselho fife, só pra babá, tenho certeza que não encontrará em outra raça ou cor babás tão cuidadosas quanto os fifes.

É cantador

Nós que criamos canários com o intuito de reprodução e ou concursos as vezes não levamos muito em conta um público comprador de nossas aves que são pequenos criadores que criam com a finalidade de ter bons canários cantores, esses criadores não estão preocupados com a cor ou raça da ave, mas sim, com a qualidade e quantidade do canto da ave. Quando criava canários de cor e depois quando parei e passei a criar gloster, sempre um ou outro criador desses me perguntava, tal cor ou os gloster cantam bem? E eu sempre tinha uma resposta pronta na ponta da língua, foi canário belga, foi macho e está no cio, canta e canta bem. Hoje sei que eu estava errado e quero agora em público me corrigir. O canto nos canários está sem dúvida ligado a sua libido, ou como popularmente falamos, seu fogo, e como existem raças mais sóbrias, mais tranquilas, mais paradas como é o caso dos Gloster, dos Norwiches e dos Crest e existem mais ativas, mais inquietas como é o caso do Fifes e dos Raça Espanholas por exemplo, haverá lógico na média dos exemplares de tais raças um número bem maior de exemplares mais fogosos e que consequentemente serão aves que cantarão mais, outro fator que colabora nesse ponto em prol do fifes, é que os mesmos são aves preocuces, que amadurecem sexualmente de forma muito mais rápida que outras raças, logo, a cantoria num criatório de fifes não se encerra nunca, pois mesmo nas epócas de cria, os machos mesmo acasalados continuam a cantar tamanho seu fogo, e logo depois se juntam a eles os filhotes machos que mesmo novos também já começam a disparar nas voadeiras.

Em resumo

Quer criar uma raça boa para disputar concursos com exemplares de qualidade, de fácil reprodução que na pior das hipóteses suas piores femeas podem ser usadas como maravilhosas amas e que os machos são os verdadeiros tenores na opera dos canários? Crie o Fife Fancy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário